Páginas

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Morsa Pneumática

Morsa penumática

Na atualidade são construídas morsas paralelas com boa estrutura e com fechamento pneumático, o que assegura comodidade e rapidez na fixação de peças.

As morsas pneumáticas asseguram um fechamento rápido e seguro, com força constante nas peças, sem empregar a força física.

O tempo de fechamento das mandíbulas é de 2 à 3 segundos. A força de fechamento, em alguns casos,chega a algumas toneladas; por este motivo devem-se tomar precauções ao fixar-se peças que possuam faces trabalhadas (acabamento superficial), pois, nesse caso, corre-se o risco de danificar a peça.

Com esse tipo de morsa fixam-se peças com dimensões não superiores a 80mm.

As morsas pneumáticas compõem-se da base, a parte giratória, que é fixada na posição desejada com os parafusos, mandíbula móvel instalada no canal da parte giratória. Dentro da parte giratória desloca-se a porca, que vai unida à mandíbula móvel com o parafuso de regulagem permite regular a distância entre ambas as mandíbulas da morsa.

Quando o ar não penetra na morsa, suas mandíbulas encontram-se sob a ação da mola, na posição de abertura máxima.

Quando o ar comprimido entra na câmara da morsa, o pistão desce e faz girar a alavanca, que se encontra na câmara, e esta, com seu braço menor, aperta com seu movimento o carro da morsa e movimenta a mandíbula móvel, que por sua vez aperta a peça. A câmara de ar dessa morsa é formada com as paredes de base e com o diafragma do setor, o ar penetra atravéz do diafragma, pressionando o anel de parede do pistão, criando, assim, a força de trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário